Não Vivo Sem Cosméticos

Você está aqui: Home Dicas de Beleza Cuidados com a tatuagem

Cuidados com a tatuagem

12 Jan

As técnicas de tatuagem qe realizam desenhos permanentes e pigmentados com a utilização de aparelhos elétricos já se tornaram comuns. Com a chegada do verão, é frequente vermos as pessoas experimentarem as versões em henna ou se aventurarem nas tatoos permanentes. Mas o que fazer se pintar um arrependimento? Existem tratamentos ou tecnologias que permitam extrair a marca e os pigmentos coloridos? E quais os riscos para a saúde ou para a pele de quem se submete ao procedimento?

Quem responde a essas questões é a dermatologista Valéria Campos (CRM-SP 73716/foto abaixo), membro da Sociedade de Cirurgia Dermatológica e especialista em Laser pela Harvard Medical School e pelo Massachussets General Hospital, ambos nos EUA. De acordo com a médica, mesmo realizada em condições ideais, a tatuagem pode trazer complicações, pois utiliza pigmentos estranhos ao nosso corpo, que são introduzidos na derme. Dentre os mais utilizados estão o carbono, o sulfeto de mercúrio, tintas vegetais, cobalto, sulfeto de cádmio, óxido de cromo, ocre e óxido de ferro.

A prática pode levar a alergias causadas por reação de hipersensibilidade imediata ou tardia, manifestada através de inflamação local, crostas, coceira e descamação local, podendo ocorrer anos após sua realização. Também pode haver infecções causadas por inoculação de vírus da hepatite, HIV, tuberculose, sífilis por meio da contaminação por agulhas, da tinta ou do pigmento compartilhados, além de infecção bacteriana ou piodermites resultantes de uma limpeza mal feita nos aparelhos. Outros problemas incluem os quelóides - que podem acontecer por erro de técnica ou por tendência genética, sendo mais comum em pessoas morenas e negras; e queimaduras - pessoas com tatuagens feitas com tinta metálica e que se submentem à ressonância magnética.

Para quem enfrentou todos esses riscos para conseguir a tão sonhada marca, mas depois se arrependeu, a solução pode estar na remoção cirúrgica, na dermoabrasão, salabrasão, criocirurgia ou na laserterapia. Todos esses métodos, com exceção dos lasers não-ablativos, causam necrose (morte) da epiderme e derme superior, eliminando o pigmento, porém deixam cicatrizes. Já os lasers seletivos (ou não-ablativos) removem tatuagens com pequenos riscos de complicações, mas também podem deixar cicatrizes, diferenças de tonalidade de pele e causar reações alérgicas.

Se mesmo assim você prefere se ver livre da sua tatoo, leia as dicas da dermatologista, em entrevista abaixo:

1- Como o laser apaga os traços e cores da tatuagem?
Valéria Campos (VC) -
Frequentemente, as tatuagens são tratadas com aparelhos que vaporizam os tecidos, como o laser de argônio e de CO2. Mas os resultados são fracos e há alta incidência de efeitos colaterais e complicações como cicatrizes hipertróficas. O laser ideal deve penetrar na pele, passando pelas camadas superiores da derme sem nenhum dano, para ser seletivamente absorvido pelo pigmento da tatuagem. Essa energia a laser fragmenta o pigmento em partículas menores que são removidas e eliminadas pelo próprio organismo, sem dano aos tecidos próximos. Para cada cor, é utilizado um tipo diferente de laser.

2- Dá para remover tatoos em grandes áreas? Com que tipo de laser?
VC -
O maior problema não é o tamanho da tatuagem, embora quanto maior o desenho,mais sessões serão necessárias. O maior desafio é a remoção total de tatuagens profissionais que empregam maior quantidade de tinta quando comparadas à tatuagem amadora.

3- O tratamento remove 100% do desenho?
VC -
No caso das tatuagens amadoras a eficácia chega a 100%, mas nas profissionais e multicoloridas, não há garantia. Por isso, quem pensa em remover as tatuagens, deve considerar a chance de ficar com lesões residuais. Se for tatuar em áreas expostas ou nomes de pessoas que possam causar arrependimento, prefira sempre a tatuagem negra que é mais fácil de remover.

4- Quantas sessões de laser são necessárias, em média?
VC -
O número depende do tamanho da tatuagem, das cores e da profundidade do pigmento empregado. Pode variar de 3 a mais de 20 sessões e, mesmo assim, não há garantia de 100% de remoção.

5- Peles escuras também podem usar o procedimento a laser?
VC -
Apesar do risco da pele tratada ficar mais clara ou mais escura do que a pele ao redor, o laser ainda é a melhor opção nesses casos.

6- Se ficarem marcas, há algum tratamento para sua eliminação?
VC -
Sim, existem lasers específicos para remover as marcas deixadas, que podem eliminar completamente ou minimizar as cicatrizes.

Com a colaboração da Prestige Assessoria de Comunicação e Marketing
Fotos: Divulgação e Stock.xchng.
Andréa da Luz

Bem-vindo ao Não Vivo sem Cosméticos, projeto da jornalista e engª química Andréa da Luz, no ar desde 2007. Acompanhe-nos também pelo Twitter, Facebook e Youtube!

Comentários  

#2 Andréa da Luz 25-04-2013 20:52
Entre em contato pelo site da dermatologista: http://valeriacampos.com/
Citar
#1 ilson fogaço 05-04-2013 00:14
ola? gostaria de sabe onde encontro sua clinica em q estado ou cidade,queria tirar uma tatuagem q fis era pra ser o simbolo do imfinito mas quem fes deixo bem feia ela mede 10 cm x 25 cm ta pintada a metade na cor preta,com essas imformacao poderia me imforma quanto vai sair cada sessão, moro no sul parana,ficaei contente se me responde e pude me ajuda to bem arrependido pelo que eu fis.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar