Não Vivo Sem Cosméticos

Você está aqui: Home Dicas de Beleza Seu esfoliante polui o ambiente?

Seu esfoliante polui o ambiente?

12 Dez

Veja como identificar a presença de partículas nocivas ao planeta e fazer escolhas mais adequadas.

Fiquei um tanto chocada quando descobri que eu poderia estar contribuindo para a poluição de rios e mares com partículas provenientes dos meus esfoliantes (corporais ou faciais). Como tenho quase certeza que a maioria das pessoas também desconhece esse fato, resolvi falar desse tema aqui. Não é novidade e você pode pesquisar sozinho na internet para saber mais, mas eu espero que esse pequeno texto já sirva como um alerta ou pelo menos que te motive a ir até sua prateleira e verificar seus itens de beleza, assim como eu fiz...

O problema acontece quando os pequenos grânulos utilizados para fazer a abrasão da pele não são naturais, mas feitos de material plástico, mais precisamente, os microplásticos.Divulgação

São microesferas de polietileno, partículas muito pequenas e altamente poluentes, que contaminam as águas de mares, rios e lagos. Elas estão presentes não apenas em esfoliantes, mas também podem fazer parte da composição de cremes dentais e sabonetes.

Como elas não se desmancham nem rompem no ato de massagear a pele, acabam indo pelo ralo do chuveiro ou da pia. E são tão ínfimas que o sistema de tratamento não consegue filtrá-las fisicamente, fazendo com que terminem poluindo rios e mares. Como se não bastasse, esses microplásticos absorvem pesticidas e metais pesados que ao entrar na cadeia alimentar de peixes e pequenos crustáceos pode matá-los por asfixia... ou, talvez, acabem voltando para nossas mesas! Sem contar que aves podem se alimentar desses peixes e ampliar a contaminação.

Divulgação

COMO IDENTIFICAR NOS COSMÉTICOS?

Muitas marcas de cosméticos utilizam as microesferas em seus produtos. Para saber se o seu cosmético possui as tais partículas, procure o nome polyethylene ou polypropylene nos rótulos das embalagens (em inglês, também podem estar descritas como microbeads, os agentes esfoliantes do produto). Tente eliminar tais produtos da sua rotina de beleza (não os jogue no lixo comum, porque acabarão poluindo a natureza da mesma maneira). Uma opção é enviar para alguma instituição de pesquisa que queira recolher o produto, como a ONG 5 Gyres Institute.

Como alternativa, você deve procurar itens que contenham esfoliantes à base de sementes ou grãos vegetais, como cacau, farelo de arroz, sementes de maracujá ou apricot, cristais de quartzo, etc.

Você também pode utilizar argilas, pois elas têm função idêntica à do esfoliante, ou fazer seu próprio esfoliante caseiro com ingredientes naturais, como açúcar, fubá, café, sal, etc. Vai acabar tendo algo bem natural e mais barato para tratar sua pele.

Parece teoria da conspiração, mas é horrível mesmo. No vídeo abaixo (em inglês), pesquisadores explicam como isso acontece e o que eles têm feito para identificar essas partículas e seu ciclo na natureza.


Depois disso, é sempre bom conferir os ingredientes antes de comprar qualquer esfoliante. Eu já troquei os meus e sempre olho se as tais partículas são feitas de sementes ou grãos de plantas. Cada vez mais temos que ficar atentos ao que trazemos para casa e colocamos na nossa pele. A cosmética é fascinante, mas nem tudo são flores...

Fonte principal: https://www.ecycle.com.br/

Andréa da Luz

Bem-vindo ao Não Vivo sem Cosméticos, projeto da jornalista e engª química Andréa da Luz, no ar desde 2007. Acompanhe-nos também pelo Twitter, Facebook e Youtube!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar