Não Vivo Sem Cosméticos

Você está aqui: Home Negócios Digitalks reúne especialistas

Digitalks reúne especialistas

20 Abr

Fórum de Marketing Digital debateu atualidades, tendências e inovações, em Florianópolis.

Aconteceu ontem (19) durante todo o dia, na Capital catarinense, o Fórum de Marketing Digital (Digitalks) 2017. O evento reuniu especialistas do mercado local e nacional para debater atualidades, tendências e inovações sobre marketing digital e empreendedorismo.

Participei do evento, pois tenho muito interesse em saber como as empresas estão se utilizando do Inbound Marketing, especificamente dos influenciadores digitais, para aumentar sua conversão em vendas de produtos/serviços. Afinal, quem aí ainda não viu o tanto de blogueiras(os) e Youtubers que passaram a ser porta-voz de linhas de produtos ou embaixadoras(es) de determinadas marcas de cosméticos?

Fábio Mayer/Divulgação/NVSC

Quem melhor abordou o tema foi Angélica Reale, Gerente de Negócios da Lomadee, plataforma colaborativa que permite que publishers divulguem produtos e serviços de anunciantes e sejam comissionados conforme o resultado de performance atingido. Somente em 2015, a companhia movimentou mais de R$ 1,3 bilhão em vendas para as operações de e-commerce de seus anunciantes.

A gerente explicou que a estratégia de utilização de influenciadores digitais (digital influencers, em inglês) serve para construir uma relação de confiança com as marcas, relação essa que já existe entre o influenciador e seu público. A escolha dessa pessoa, segundo Reale, não leva em conta (ou não deveria levar) apenas o número de seguidores nas redes sociais, mas sua credibilidade e relevância no segmento em que atua. Ela também alertou sobre o fato de que quando uma marca escolhe uma pessoa, está automaticamente carregando consigo (ou associando a imagem da marca) ao passado, presente e futuro desse influenciador. Tudo que ele faz deve ser avaliado antes de fechar parcerias.

Mas o que eu NÃO descobri, foi como as empresas vão lidar com o fato de que alguns consumidores acabam ficando na dúvida sobre a veracidade de determinadas opiniões sobre produtos quando estes são mostrados/elogiados pelos influenciadores. Será que eles(as) falariam mal de algum produto se não gostassem? Será que não poderia causar o efeito inverso, digo, de não confiança na marca?

Além desse tema, também foram abordados o uso de email marketing como forma de levar o consumidor ao resultado final de compra, estratégias de remarketing (disparo de emails para tirar dúvidas sobre algum produto ou serviço que a pessoa tenha visto ou buscado no e-commerce para convencê-lo a fechar a compra), boas práticas de email marketing (como evitar compra de listas de emails, continuar enviando material sem observar a segmentação por público, e o não acompanhamento da taxa de abertura de e-mails pelos clientes).

A gerente de Customer Experience da Peixe Urbano, Monise Tonoli, mostrou como a empresa está redefinindo processos que levem a melhores experiências de compra para os usuários (Customer Happiness). Entre as ações estão o Cliente Oculto (usuários que testam os serviços) e envio de pesquisa pós-venda aos clientes, para avaliarem a qualidade do atendimento. Segundo pesquisas, as companhias que adotam essa abordagem geram três vezes mais resultados (ROI) do que as que não se preocupam com a experiência do cliente no processo de compra.

O chefe de Atendimento ao Cliente da Arezzo &Co., Cristiano Chaves, explicou como o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) melhorou nos últimos cinco anos mesmo sem um 0800, apenas com as ferramentas de chat online e e-mail e treinamento da equipe de teleatendimento do e-commerce. Em seguida, a gerente de Self-Service do LinkedIn para a América Latina, Patricia Leka, abordou o novo processo de compra B2B e o uso dessa rede social como ferramenta de ações de marketing digital. 

Também foram apresentados os conceitos de Growth Hacking (Atalhos para o crescimento) e Mobile First (dispositivos móveis em primeiro lugar).

André Siqueira, diretor de Marketing da Resultados Digitais, abordou o primeiro conceito indicando atalhos para alavancar a marca, a partir do ponto de vista do conteúdo. O Growth Hacking também pode ser alcançado com estratégias de SEO (Search Engine Optimization, em inglês) - ou Otimização nas buscas do Google, tema apresentado por Felipe Bazon, da SEO Marketing. Ele falou sobre melhor distribuição do conteúdo, uso de palavras-chave de cauda longa (long tail), otimização de títulos, comarketing, importância de designs responsivos, páginas com menor tempo de carregamento e boa visualização do conteúdo que melhorarão a experiência do usuário.

Por fim, o gerente de Inovação e Mobile da SulAmérica Seguros, Ricardo Prates, mostrou como os smartphones serão o principal meio de difusão dos conteúdos nos próximos anos (na real, já são a forma mais comum de acesso dos usuários a conteúdos na internet). A companhia desenvolveu um aplicativo que utiliza um sistema de inteligência artificial para agilizar o pagamento de sinistros. O robô reconhece os documentos enviados via celular pelos clientes e dependendo da complexidade do caso, o pagamento pode ser liberado automaticamente ou não - antes era comum esse processo levar até 15 dias. O sistema levou quatro meses de desenvolvimento e a leitura de mais 30 mil itens para que o robô "aprendesse" a reconhecer vários tipos de documentos.

O evento aconteceu no Centrosul, das 9h às 18h, em Florianópolis.

Andréa da Luz

Bem-vindo ao Não Vivo sem Cosméticos, projeto da jornalista e engª química Andréa da Luz, no ar desde 2007. Acompanhe-nos também pelo Twitter, Facebook e Youtube!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar